Saiba a importância da saúde bucal na prevenção de doenças

O cuidado com a saúde bucal é primordial para a manutenção do bem-estar dos pacientes e para evitar o acometimento de doenças que podem interferir na aparência do sorriso, na integridade das estruturas dentais, na efetividade da mastigação e na qualidade de vida como um todo.

A negligência com as estruturas orais é a principal causa do surgimento de cáries, gengivite, aftas, periodontites e várias outras condições bucais que comprometem o bem-estar físico e emocional das pessoas.

Essas doenças são originadas devido à falta da higienização adequada, que propicia a ação dos microrganismos bucais e o desenvolvimento das colônias responsáveis pela placa bacteriana e o tártaro.

Essas formações biológicas processam os resquícios alimentares, produzindo ácidos corrosivos aos dentes e danosos aos tecidos moles, causando irritações, inflamações e infecções nessas áreas.

No entanto, o impacto sentido pelas doenças bucais podem extrapolar a cavidade oral e atingir todo o organismo. Por isso, é preciso estar atento a essas consequências e em como é possível evitar o advento dessas enfermidades.  

Como a falta de higiene bucal origina doenças em todo o organismo

A boca é a principal via de acesso para todo o organismo. Ela é responsável pelo início do processo digestivo, é o que garante a absorção adequada dos nutrientes e também por onde os órgãos entram em contato com as bactérias e vírus causadores de doenças.

Assim, as enfermidades orais refletem diretamente na saúde geral do organismo e precisam ser evitadas, pois possuem efeitos que podem ser graves e permanentes. 

Isso é observado nos estudos realizados pelo Instituto do Coração (Incor), que apontam para as doenças bucais como a origem principal de 45% das patologias cardíacas.

O motivo desta relação está no processo inflamatório causado pelos microrganismos da boca que causam a gengivite. 

Quando esse quadro não é devidamente tratado, a infecção atinge os tecidos mais profundos da cavidade oral (se tornando uma periodontia) provocando danos permanentes nos ossos maxilares e nos tecidos nervosos de sustentação dental.

Como esta região é altamente vascularizada, as bactérias podem infiltrar o sistema sanguíneo e se espalhar para diversas partes do corpo, se instalando nos pulmões, coração, útero e até no cérebro, provocando:

  • Problemas circulatórios;
  • Doenças gastrointestinais;
  • Parto prematuro;
  • Artrite;
  • Doenças respiratórias e pneumonias, entre outras.

Além disso, estudos indicam que as periodontias graves estão relacionadas com o aumento dos níveis da proteína beta-amilóide, que é comumente encontrada no cérebro de pacientes com Alzheimer e outros tipos de doenças cerebrais.

Importância de manter a saúde oral

Por isso, manter a saúde dos dentes pode significar o bem-estar e o pleno funcionamento de todo o organismo. 

Essa é também uma forma de garantir a beleza do sorriso, a integridade das estruturas e, ainda, impedir a perda dentária que acontece com maior frequência a partir dos 40 anos.

Mas, para isso, o paciente precisa focar nos cuidados diários necessários e no início de novos hábitos que devem ser introduzidos à rotina.  

  1. Atenção com a higiene

A limpeza de toda a cavidade oral é imprescindível em todas as idades, pois ela permite o controle das bactérias bucais e evita a formação das placas e do tártaro. Assim, a recomendação é que todas as pessoas realizem a escovação dos dentes três vezes ao dia.

O uso do fio dental deve ser diário – de preferência antes de dormir – e, se necessário for, finalizar a rotina com um enxaguante bucal, indicado por um dentista de confiança.

A limpeza do aparelho invisivel e das próteses dentárias também é fundamental para a remoção de todas as colônias bacterianas.

  1. Visitas regulares com o dentista

As consultas de rotina devem ser feitas duas vezes ao ano ou, em caso de pacientes diabéticos e hipertensos, uma vez a cada quatro meses. Isso irá garantir a saúde dos dentes e a prevenção de complicações dos quadros clínicos.

Além de servir para planejar a realização de tratamentos cosméticos, como o implante dentário, o dentista irá utilizar essas visitas para a limpeza profunda e a remoção de sujeiras das áreas de mais difícil acesso.

Com essa constância do atendimento, o profissional consegue identificar mais facilmente o surgimento de doenças e tratá-las antes que elas se tornem problemas maiores, com resultados irreversíveis.

O paciente pode, ainda, sanar dúvidas em relação à higienização oral, o uso de acessórios que auxiliam na escovação e até quanto ao valor de um implante dentário ou de outros tratamentos.

  1. Diminuição de alimentos açucarados e bebidas ácidas

O consumo constante de comidas ricas em açúcares e amidos é um grande incentivo à ação bacteriana, pois esses tipos de alimentos são perfeitos para a fermentação e a produção dos ácidos que causam a erosão dental e o amarelamento do esmalte – que exige a correção por clareamento dental.

Além disso, a ingestão de bebidas ácidas como o café, chá, vinhos e refrigerantes danificam a aparência dos dentes naturais, diminuindo o ph da boca e deixando toda a região ainda mais sujeita às infecções bacterianas.  

Esses drinques também escurecem o esmalte e comprometem a duração das facetas de porcelana que compõem a lente de contato dental, por isso, é preciso atenção no consumo de alimentos específicos – principalmente em excesso -, bem como na higienização correta após sua ingestão.Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Lógica de Mercado, uma rede de conteúdos para alavancar negócios e proporcionar mais qualidade de vida e saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + três =